terça-feira, 12 de setembro de 2017

O tabu da masturbação feminina

A masturbação feminina sempre foi um tabu entre as mulheres. Enquanto homens falavam abertamente sobre o assunto e eram até incentivados a praticá-la, as mulheres sempre sofreram com uma repressão. Era feio falar e fazer isso, além de ser errado e julgado por muitas pessoas. Admitir que se masturbam em público é muito difícil para muitas mulheres até hoje. Já outras, sempre tiveram mais curiosidade e foram abertas ao assunto.

Muitas vezes o tabu é causado por religião, maneira de que a mulher foi criada e a educação que recebeu dos seus pais. Mas uma coisa é certa - masturbação não faz mal nenhum e deve ser sim praticada. Ela ajuda a conhecer o corpo e não há nada de errado em praticá-la. Ela só passa a ser um problema quando a pessoa deixa de realizar outras tarefas para ficar se masturbando. Do contrário, não há problemas nenhum.


Conseguir chegar ao orgasmo sozinha pode inclusive ajudar na hora do sexo com seu parceiro. Afinal, conhecendo suas zonas erógenas e sabendo exatamente do que você gosta é mais fácil auxiliar o seu parceiro fazer você gozar.

Existem várias técnicas para o assunto e várias maneiras de se tocar. O corpo feminino pode proporcionar prazer e orgasmos inclusive através dos mamilos. Isso porque o orgasmo acontece no cérebro e não na região genital.

Os outros pontos populares são o ponto G e o ponto U. Há controvérsias sobre a existência do ponto G, mas ele pode inclusive causar o que chamamos de squirt - um jato transparente ao atingir o orgasmo. Ele é uma região mais enrugada logo após a entrada da vagina (cerca de 4 ou 5 centímetros). Ele fica atrás do osso pubiano e é um ótimo local para estímulo.

Outro ponto é o clitóris. Aquele botãozinho na parte externa da vagina, que fica entre os lábios. Na parte superior, próxima aos pelos. Muitas mulheres só chegam ao orgasmo por lá. O local tem muitas terminações nervosas, sendo extremamente sensíveis.


Mais dicas de relacionamento em: http://atraindoamor.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário