quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Mitos Sobre a Masturbação Feminina

Temos muita sorte de viver em um momento em que finalmente podemos ver a saúde sexual das mulheres fazendo grandes e rápidos avanços. No entanto, nem todo mundo tem acesso fácil a informações precisas sobre o bem-estar sexual, especialmente em temas sensíveis e pessoais como a masturbação.
Apesar de todo nosso progresso positivo, o auto-prazer feminino não perdeu completamente sua reputação estranha, confusa e geralmente falsa. Ainda há muita informação infundada flutuando que impede as mulheres de descobrir seu próprio poder de prazer.

Masturbação é para mulheres solteiras, solitárias e sexualmente insatisfeitas

O prazer próprio é freqüentemente rotulado como um substituto para sexo em parceria, e isso não poderia estar mais longe da verdade. A masturbação nunca substituirá sua conexão íntima com um parceiro vivo e respiratório. Também é falso que você só sentirá o desejo de se masturbar quando você estiver realmente descontente com sua vida sexual. Muitos homens e mulheres relatam se masturbarem mesmo depois que estão felizes. E por que não? Há uma série de benefícios para a masturbação!
O prazer único é uma das maneiras mais saudáveis ​​de aliviar o estresse, pois libera substâncias químicas sensíveis como dopamina, oxitocina e endorfinas durante o orgasmo . É também a melhor maneira de manter contato com seu corpo e aprender o que o excita. Quando você está totalmente em sintonia com seu eu sexual, seu relacionamento prosperará, e você pode ensinar ao seu parceiro tudo o que descobriu enquanto explorava sozinho.

Vibradores podem causar danos no nervo


Não é ilógico perguntar-se como as vibrações fortes podem afetar negativamente o clitóris sensível após o uso repetido. A desensibilização potencial ou mesmo os danos nos nervos estão entre as principais preocupações dos novos usuários de vibradores . Como a maioria dos rumores, este é baseado em premissas e medo, não em fatos. Alcançar o orgasmo com um vibrador absolutamente não o colocará em risco de danificar permanentemente seus nervos ou experimentar algo mais do que um entorpecimento temporário, semelhante a estar sentado em uma cadeira difícil e desconfortável por muito tempo. No entanto, seu corpo podese acostumar com a repetição, tornando difícil o clímax de outros tipos de estimulação. Isso significa apenas que você precisará ocasionalmente mudar sua rotina de prazer com diferentes brinquedos e técnicas. 

terça-feira, 12 de setembro de 2017

O tabu da masturbação feminina

A masturbação feminina sempre foi um tabu entre as mulheres. Enquanto homens falavam abertamente sobre o assunto e eram até incentivados a praticá-la, as mulheres sempre sofreram com uma repressão. Era feio falar e fazer isso, além de ser errado e julgado por muitas pessoas. Admitir que se masturbam em público é muito difícil para muitas mulheres até hoje. Já outras, sempre tiveram mais curiosidade e foram abertas ao assunto.

Muitas vezes o tabu é causado por religião, maneira de que a mulher foi criada e a educação que recebeu dos seus pais. Mas uma coisa é certa - masturbação não faz mal nenhum e deve ser sim praticada. Ela ajuda a conhecer o corpo e não há nada de errado em praticá-la. Ela só passa a ser um problema quando a pessoa deixa de realizar outras tarefas para ficar se masturbando. Do contrário, não há problemas nenhum.


Conseguir chegar ao orgasmo sozinha pode inclusive ajudar na hora do sexo com seu parceiro. Afinal, conhecendo suas zonas erógenas e sabendo exatamente do que você gosta é mais fácil auxiliar o seu parceiro fazer você gozar.

Existem várias técnicas para o assunto e várias maneiras de se tocar. O corpo feminino pode proporcionar prazer e orgasmos inclusive através dos mamilos. Isso porque o orgasmo acontece no cérebro e não na região genital.

Os outros pontos populares são o ponto G e o ponto U. Há controvérsias sobre a existência do ponto G, mas ele pode inclusive causar o que chamamos de squirt - um jato transparente ao atingir o orgasmo. Ele é uma região mais enrugada logo após a entrada da vagina (cerca de 4 ou 5 centímetros). Ele fica atrás do osso pubiano e é um ótimo local para estímulo.

Outro ponto é o clitóris. Aquele botãozinho na parte externa da vagina, que fica entre os lábios. Na parte superior, próxima aos pelos. Muitas mulheres só chegam ao orgasmo por lá. O local tem muitas terminações nervosas, sendo extremamente sensíveis.


Mais dicas de relacionamento em: http://atraindoamor.com.br/