quarta-feira, 12 de outubro de 2016

TV x Bebês

De acordo com um estudo divulgado na revista norte-americana Pediatrics assistir televisão não torna bebês nem crianças mais inteligentes, ainda que sejam aqueles programas e dvd's educativos como o "Baby Einstein" por exemplo. Estimular brincadeiras com blocos coloridos, quebra-cabeças e livros ao invés de ver TV são as novas observações aos pais dos pediatras mais atualizados. Pesquisadores da Harvard chegaram a esta conclusão depois de acompanhar mais de 800 crianças desde o nascimento até aos 3 anos de idade.

Os especialistas não encontraram nenhuma evidência de benefícios cognitivos de ver televisão durante os primeiros anos de vida e inclusive comentam que é perda de tempo achar que estão aprendendo algo, pois na verdade somente estamos roubando tempo de atividades mais produtivas para o desenvolvimento.



Eu confesso que me senti meio culpada quando li isso, pois a Luisa gosta muito de ver TV, programas como Hi 5 e Vila Sésamo. Mas pensando por outro lado minha experiência doméstica me mostra que a TV pode estimular sim. Concordo que obviamente não deixa ninguém mais inteligente não, concordo também que não desenvolve, apenas estimula e se os pais não derem prosseguimento a esses estímulos aí sim acho que a coisa fica vazia e a TV só servirá mesmo com uma espécie de babá eletrônica que nós conhecemos bem, não é?

Enfim, estudos explorando a relação entre ver TV os efeitos sobre as crianças estão apenas começando....E você o que acha? Qual sua experiência?

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Doenças da pele na terceira idade

As doenças da pele são muito comuns na terceira idade.

Há inúmeras causas para as manifestações cutâneas que vão desde as alérgicas, até as manifestações cancerosas, passando por irritações devido a tóxicos, substâncias químicas, medicamentos, raios ultravioletas e infecções. Algumas doenças também apresentam manifestações cutâneas, o diabetes.

Situações de forte emoção também podem levar a manifestações cutâneas. Na terceira idade se destacam as infecções, a escara de decúbito, os tumores de pele e a dermatite ou eczema.


A maioria das doenças de pele são acompanhadas de prurido ou coceira que são sintomas  freqüentes em qualquer idade, sendo comum em diversas doenças que podem atingir o idoso, como ocorre na insuficiência renal (devido ao aumento da uréia) e na icterícia (doenças do fígado e da vesícula, por exemplo).

O diabetes, a anemia e certos distúrbios da tireóide podem também provocar coceiras pelo corpo. Alguns tumores malignos como os de pulmão e de mama, em geral, provocam uma sensação desagradável, levando o indivíduo a coçar-se em busca de alívio. Situações psicológicas como o estresse podem ser acompanhadas de coceira severa.

Em caso de dúvida, consulte seu médico.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Além do filtro solar: mais 5 cuidados com o sol

O verão passou, mas os cuidados com o sol não devem ser esquecidos, já que as altas temperaturas podem causar grandes danos à pele e à saúde do ser-humano. Tomar sol de forma moderada faz bem, afinal ele é fonte natural de vitamina D. No entanto, o exagero pode ser prejudicial. A proteção é fundamental para prevenção de problemas a curto ou longo prazos!

O filtro solar é um grande conhecido, que deve ser usado diariamente. A dica inicial é que você escolha o fator de proteção mais adequado ao seu tipo de pele. Depois disso, o ideal é que o produto seja aplicado de 20 a 15 minutos antes da exposição ao sol, evitando que o rosto e o corpo fiquem desprotegidos.


Além do uso do protetor solar, existem outros cuidados que devem ser lembrados. Saiba quais são as principais dicas para aproveitar o sol sem preocupações:

Exposição progressiva

Na praia ou piscina, por exemplo, é comum que as pessoas permaneçam por um longo tempo embaixo do sol, principalmente nos primeiros dias. No entanto, o ideal é fazer exatamente o contrário. No início, deve-se ficar exposto por pouco tempo. O período pode aumentar progressivamente ao longo dos dias para que o corpo vá se acostumando, mas sempre é importante evitar qualquer tipo de excesso.

Horário

Existem alguns horários mais adequados para a exposição. O ideal é evitar o sol entre as 10h e as 16 horas, principalmente por conta dos raios ultravioletas, que podem motivar o câncer de pele. Mesmo quando o dia parece um pouco mais fresco é preciso usar o protetor solar e ficar atento para não exagerar no período de exposição.

Água

A hidratação deve ser um cuidado constante. Quando há exposição ao sol, a atenção deve ser redobrada. Estar o tempo todo com água por perto é fundamental, não só para crianças, mas para os adultos também. O ideal é a ingestão de pelo menos dois litros de água por dia.

Óculos Escuros

A proteção UV é essencial para os cuidados com saúde dos olhos. Os óculos escuros são grandes aliados nesse caso! Apenas é preciso atenção na hora da escolha, para que o efeito não seja contrário ao esperado. Os óculos escuros devem ser de boa qualidade para que realmente previnam futuros problemas.

Acessórios para a cabeça

Os bonés e chapéus com aba protegem não só o couro cabeludo, que fica muito exposto ao sol, mas todo o rosto. Principalmente em dias mais quentes, esses acessórios são excelentes aliados. Eles ajudam o protetor solar no processo de prevenção dos danos solares.

Pós-Sol

Os cuidados com o sol exigem medidas não apenas durante, mas também após a exposição. Para evitar que a pele fique ressecada, após um dia de piscina ou praia, opte pelos hidratantes específicos de pós-sol. Além de deixar corpo e rosto hidratados, o produto proporciona sensação de alívio e frescor.

O ideal é que todos os cuidados sejam tomados, afinal o sol em excesso e a ausência de prevenção podem causar diversos problemas à saúde, como queimaduras, desidratação ou até doenças mais graves. Além disso, é preciso usar bons produtos, escolher o protetor solar mais adequado para a sua pele e se proteger da melhor forma possível sempre!

Dicas rápidas na hora de comprar um colchão

É preciso saber o seu peso e sua altura para comprar o colchão indicado para os melhores sonos. Essa é a dica fundamental e que não poderia deixar de ser a primeira. Curta e grossa!

Não basta só deitar e rolar no colchão para saber se ele é bom ou não para sua saúde. Ao comprar colchão é preciso conseguir um meio termo entre saúde e conforto, mas o que deve ser analisado é o efeito do colchão sobre a coluna.

No mercado existem vários tipos de colchões, mas é preciso saber qual é o ideal para uma boa noite de sono. O colchão deve ceder nas partes do quadril e manter a coluna em uma posição ereta, sem desvios nem para cima, nem muito para baixo. Nem sempre o mais macio é o ideal para você...

Mas o que tem a ver o peso e a altura? Esses dados são fundamentais para escolher os colchões de espuma que têm uma tabela com a densidade adequada para cada pessoa. Sabendo o peso e a altura da pessoa que vai dormir é possível indicar o colchão com a densidade correta.

Pesquise em todas as lojas possíveis, para assim, encontrar a melhor opção de colchão. Outra cuidado importante é sempre ter o cuidado de sentar, deitar e sentir o colchão que você está propenso a comprar. Um “test-drive” pode ser fundamental para a escolha do melhor colchão.


Agora ficou mais fácil de encontrar o colchão ideal!

Mas e quando envolve um casal? 

Um casal são duas pessoas, que muitas vezes, apresentam diferentes características, por isso, ter um cuidado a mais para que os dois tenham uma boa noite de sono é fundamental. Sendo assim, o colchão deve ser escolhido de acordo com o peso e a altura de quem for maior no casal. Para conservar o seu colchão é preciso alguns cuidados como: não sente no mesmo lugar do colchão, a cada 15 dias vire o colchão e use capa de proteção.

Já contamos algumas dicas colchão na hora de comprar, como nada dura para sempre chega uma hora que você precisa trocar o colchão. Normalmente, quando os colchões começam a afunda já é hora de trocar! Não tem uma data certa, mas em média os colchões de espuma duram, aproximadamente cinco anos. Já os colchões de molas tem uma durabilidade de aproximadamente dez anos. Fique atento quanto à validade do seu produto e seu estado de conservação!